Skip to content

Avelã

Especificações

Nome científico: Corylus spp
Nome comum: Avelã ou aveleiro
Família botânica: Betulaceae
Características gerais: Existem duas principais espécies de avelã sendo Corylus avellana a que é encontrada em estado selvagem na Europa ocidental e na Inglaterra e Corylus maxima a que é nativa do sudeste da Europa e Ásia ocidental. Entretanto, existem muitos híbridos destas duas espécies que são difíceis de serem separadas e todas são conhecidas como avelã. Na Turquia existe a espécie nativa Corylus colurna que forma árvores de até 25 metros de altura que produz avelãs muito grandes e que são valorizadas comercialmente. Existem espécies de Corylus nativas do Canadá, da China e do Japão com frutos bem menores do que as espécies europeias, mas igualmente muito importantes como alimentos ao longo da história da humanidade. A espécie Corylus americana, nativa da América do Norte, produz frutos longos com casca dura e menores do que as outras espécies de avelã. Em ordem decrescente de importância, os maiores produtores mundiais são: Turquia, Itália, EUA, Azerbaijão, Geórgia, Irã, China e Espanha. Os frutos da aveleira são produzidos em cachos com 1 a 10 frutos que soltam as avelãs (sementes) quando os invólucros secam e se abrem.
As avelãs são lisas e marrons quando maduras e têm uma casca dura e brilhante que é o pericarpo, no qual está inserida uma só semente que é a parte comestível da aveleira. Existe uma variação de forma da avelã desde arredondada, oval até oblonga.
Uma aveleira produz de 6 a 12 kg de avelãs por ano dependendo das condições climáticas, de cultivo e da cultivar. As árvores em produção tendem a alternar a produção a cada 2 ou 3 anos e, desta forma, deve-se realizar a poda de ramos novos e a retirada de frutos novos. Além disto, devem ser retirados os frutos que permaneceram na árvore para que não haja inibição na formação de novas flores femininas.
A colheita é realizada no outono, por meio da coleta de frutos no chão, que se abrem naturalmente. As avelãs devem ser secas para que o teor de umidade seja ao redor de 12%, reduzindo o risco de contaminação por aflatoxina. As avelãs podem ser armazenadas em condições secas e frias durante 5 meses e, se colocadas em refrigerador, podem permanecer em boas condições por um ano ou dois anos em freezer.
Usos: Avelãs podem ser usadas de várias maneiras em sobremesas ou saladas salgadas, consumidas cruas ou tostadas como aperitivo, junto com cereais e todos os tipos de preparações onde são usadas nozes ou castanhas. Pode ser triturada para fazer uma farinha adicionada a pães, aos quais conferem delicioso aroma e sabor. Além do uso alimentar, as aveleiras são plantadas em vários países com finalidade ornamental formando cercas vivas com folhagem colorida e ramos retorcidos.

Fonte: DONADIO, L.C.; ZACCARO, R.P. Valor nutricional de frutas
A avelã tem um valor nutricional muito grande, contendo alta concentração de vitamina E, ao redor de 60% de óleos, sendo 55% de monoinsaturados como ácido oléico, 15% de poli-insaturados como ácido linoléico e ômega 6, 25% de outros óleos poli-insaturados e ao redor de 5% de óleos saturados. Avelãs apresentam maior concentração de acido oléico do que a oliveira.
Estudos mostraram que o consumo de 25 gramas de avelãs por dia durante 16 semanas resultou em redução de 2 a 10% no colesterol LDL num grupo que variava de crianças até adultos que foi comparado com um grupo que não consumiu avelãs. Contém também alta concentração de cálcio (200 mg/100g de frutos) com altos níveis de magnésio, potássio, tiamina e ácido fólico além de ferro, cobre, manganês e 13% de proteína.
Vitaminas – A semente da avelã tem em média 250 UI de vitamina A; 460 mcg de B1; 550 mcg de B2; 5.000 mg de B3 e apenas 7 mg de vitamina C.
Minerais (em 100 g de frutas) – Cálcio – 113 mg; ferro – 4,6 mg; magnésio – 162 mg; fósforo – 289 mg; potássio – 681 mg, selênio – 2,4 mg.
Outros dados médios da avelã indicam, além do seu alto valor calórico, algumas vitaminas e acido fólico, com valor medicinal. Apesar de seu conteúdo elevado de gorduras, a maior parte é de não saturados. Apenas 15 a 20 avelãs contêm nutrientes equivalentes a uma refeição. É indicado mastigá-la bem ao comer, para facilitar a sua digestão.
Da avelã americana é obtida uma pasta muito nutritiva usada na culinária, também com alto teor de óleo.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS
Também chamada de avelã europeia, pois existem outros tipos de avelã, é famosa em outras línguas: hazel nut, em inglês; nocciola em italiano; e avellano em espanhol. Seu óleo tem uso medicinal, rico em polifenóis e flavonoides. A pele do seu fruto é amarga e por isso deve ser removida ao ser utilizada na culinária ou comida ao natural. O produto mais conhecido à base de avelã é a pralina, que é avelã combinada com chocolate. O fruto também fornece o leite de avelã, que é a fruta amassada, à qual é adicionada água, adoçada com mel. Há ainda um licor muito popular nos países produtores.
DONADIO, L.C. e outros; Frutas Exóticas, 1998.